Posts Tagged 'the temptations'

You’ll Lose A Precious Love

Uma música que gosto muito (gustássifon) e que coloco aqui para vocês a versão original e o cover, bom, sou suspeito para dizer, mas apesar de adorar a versão dos Temptations, sem dúvida, o rocksteady do Slim Smith é melhor. Aproveitem!!!

PS.: Comentem aí, o que vocês acham?

Primeiro a original!!!

The Themptations – You’ll Lose A Precious Love by Gustássifon

Agora a versão!!! KILLERR!!!!

Slim Smith & The Uniques – You’ll Lose A Precious Love by Gustássifon

Relatos da Virada

Estive na Virada Cultural e Ilegal, que aconteceu em São Paulo, este final de semana que passou. O balanço final foi: consegui assistir Booker T, The Temptations Experience e Big Youth, além de curtir e discotecar na Virada Ilegal com o Jurassic Soundsystem e convidados.

SHOWS

1º Booker T: o show deixou a desejar, mas não pela apresentação e sim pela produção. O palco do Boulevar São João, pelo menos na madrugada de sábado para domingo (pode ser que tenham melhorado no decorrer do evento), estava uma merda! O som estava baixo, não estava regulado e ninguém fazia nada para consertar. Por exemplo, no show do Booker T parecia que o teclado estava mais baixo que a banda, o som ficava meio abafado, ainda mais quando o guitarrista começava a solar loucamente. Não sei dizer se era proposital o fato do teclado ficar mais baixo que o resto da banda, mas como o show era do Booker T, acho que o teclado era o principal da apresentação, sem contar que a sonoridade do Hammond é maravilhosa. Em uma escala de 1 a 10 eu daria nota 6 ao show.

2º The Temptations Experience: na sequência, no mesmo palco,  o show dos Temptations. Os problemas de produção continuaram, um dos microfones simplesmente não funcionava. É inaceitável a falta de um microfone, afinal o grupo tem como característa o doo-whop como estilo de vocal e o conjunto das vozes é fundamental para a apresentação. Apesar dos problemas, o show foi ótimo! A presença de palco dos integrantes é sensacional, dançando com seus ternos roxos e sapatos de couro, fazendo coreografias o tempo inteiro e sempre com sorrisos. Foi demais, mesmo com os defeitos da produção. O show foi curto, mas foi suficiente. Vários clássicos no repertório, como “My Girl”, “Get Ready” (abriu a apresentação), “Papa Was a Rolling Stone”, “I Wish it Would Rain” etc. Em uma escala de 1 a 10 eu daria nota 8 ao show.

O Experience no nome do grupo é porque este não é formado pelo membros originais e apenas Glenn Leonard (o mais a esquerda no vídeo abaixo) realmente passou pela banda como cantor principal de 1975 à 1983.

O áudio desse vídeo está ruim, mas a imagem está ótima

3º Big Youth: descansado, no segundo dia da Virada, show do Big Youth no palco da Barão de Limeira. Para ser breve, o show foi FODA! Velho maluco no palco, estiloso, dançando, pulando, batendo cabeça com os dreads, muito bom! O repertório eu não conhecia tanto, mas a música era boa e a presença de palco estava acima da média. Na apresentação, Jah Youth, como também é conhecido, cantou com o filho Tafari, que é cantor de rap. Foi jóia! Melhor do que descrever, é assistir. Em uma escala de 1 a 10 eu daria nota 9 ao show

VIRADA ILEGAL

Os trabalhos começaram na sexta com o ajuste do soundsystem. No sábado, esforço físico para carregar as “toneladas” de caixas até a Praça da Sé. Por volta de 18:00 já estava tudo pronto para ligar e às 20:00 o som foi ligado de fato. Algumas regulagens finais e tudo pronto. Foram 7 horas de música jamaicana. Discotequei no início com o Jurássico, representando o RoodBoss, até sair para assistir Booker T e Temptations. Voltei mais ou menos às 3:00 e o público tinha triplicado, a pequena rua Simpliciana estava lotada. Hail Him estava finalizando seu set e o Kulcha Sounds já havia tocado. Depois de alguns minutos que o Jurássico e o Sono assumiram novamente o som, houve uma confusão que lamentavelmente resultou no fim da festa. Não entendo como que as pessoas não valorizam o trabalho dos outros, gasta-se dinheiro, tempo e esforço, para fazer um evento legal, cultural e alguns poucos conseguem estragar a diversão de muitos. Apesar do que houve, foi ÓTIMO e para quem perdeu a Virada, só lamento, rs!

The Temptations – Sing Smokey [1965]

A música negra americana foi determinante para o desenvolvimento da cultura jamaicana. O soul, R&B, funk etc, eram os ritmos que os jamaicanos escutavam. Até os primeiros soundsystem que existiram, tocavam música americana, ao invés do som da ilha.

Por uma razão especial, coloco aqui um álbum dos Temptatios, uma das grandes bandas da Motown. Este álbum é mais pro início da carreira, carregado de soul e R&B. Inclui o grande hit da banda, “My Girl” e gostaria de fazer uma ressalva para a “You’ll Lose A Precious Love” que possui uma versão interpretada por Slim Smith & The Uniques que é extraordinária.

A razão de postar Temptations é o fato de acontecer um show deles em SP durante a Virada Cultural no dia 15 de maio. Apesar de apenas um dos integrantes, Mr. Otis Williams, ainda vivo e presente na banda, ser da formação original, acredito que será um grande show.

via You & Me on a Jamboree! by Luís on 10/25/08

Outro album cheio de clássicos que contem diversas versões de cantores jamaicanos. Lançado pela Montown em 1965, nesse só com versões de musicas de Smokey Robinson, que era produtor do selo e cantor do grupo ”Miracles”. O Destaque vai para “You’ve Really Got A Hold On Me” e “My Girl” que é o maior hit do Temptations e da Motown de todos os tempos.

  1. The Way You Do The Things You Do
  2. Baby, Baby I Need You
  3. My Girl
  4. What Love Has Joined Together
  5. You’ll Lose A Precious Love
  6. It’s Growing
  7. Who’s Lovin’ You
  8. What’s So Good About Good Bye
  9. You Beat Me To The Punch
  10. Way Over There
  11. You’ve Really Got A Hold On Me
  12. (You Can) Depend On Me

DOWNLOAD


estatística

  • 220.057 cliques

roodboss (t)