Posts Tagged 'sound system'

Dennis “El Paso” Alcapone

Dennis Smith, jamaicano, nascido em 1947 e mais conhecido como Dennis Alcapone, passou a juventude frequentando os maiores e mais importantes sistemas de som da Jamaica: The Coxsone Downbeat (Clement Dodd — Studio One), Voice of The People (Prince Buster), The Trojan (Duke Reid — Treasure Isle) e principalmente King Tubby’s Home Town Hi-Fi (King Tubby) que estrelou U-Roy como deejay. Inspirado e apaixonado por este formato de festa, uniu forças com mais dois amigos e montou seu próprio sistema de som, intitulado “El Paso”. O ano era 1969.

Como deejay à frente do El Paso sound system, Dennis ganhou popularidade e seu talento logo despertou a atenção do cantor e produtor Keith Hudson, que o convidou para realizar diversas gravações ao longo do ano de 1970. O renomado produtor Clement “Coxsone” Dodd também ficou interessado no rapaz e lançou grandes hits pelo Studio One, adotando o nome “Alcapone” (apelido que ganhou dos amigos quando assistiram ao filme do gângster). Com Coxsone, gravou singles como Nanny Version (Larry Marshal – Nanny Goat), Power Version (Clarendonians – You Can’t Be Happy), Forever Version (Carlton & His Shoes – Love Me Forever), entre outros, que acabaram compilados em seu primeiro álbum. Também gravou diversos sucessos com Duke Reid, Bunny Lee e outros importantes produtores da ilha.

Alcapone foi um dos primeiros deejays jamaicanos a obter sucesso internacional e realizar turnês pela Europa em meados dos anos 1970. Com seu estilo bastante peculiar de “cantar” sobre as músicas, influenciou uma nova geração de deejays como I-Roy e o jovem Dillinger (que inclusive começou sua carreira sob o nome “Young Capone”). Em 1972 foi coroado pela revista jamaicana “Swing” como o melhor deejay, título que ajudou a aumentar sua popularidade e legião de fãs ao redor do mundo.

Lembrando que as origens do MC (mestre de cerimônias) no cenário musical atual, vem dos deejays da música jamaicana (não confundir com o DJ do hip hop, que teve sua origem no seletor da música jamaicana). O papel do deejay incluia incentivar os dançarinos e promover o sistema de som. Muitas vezes, devido ao público ser formado por pessoas de baixa renda dos guetos jamaicanos, os deejays também divulgavam notícias que ouviam nas rádios, devido ao fato de que ter um rádio em casa era um privilégio de poucos frequentadores dos salões de dança nessa época na Jamaica.

Em Dezembro de 2010, a equipe RoodBoss teve a oportunidade de conhecer Dennis Alcapone pessoalmente em Kingston e prestigiá-lo numa apresentação em praça pública. Da viagem ficaram registrados boas memórias e um vídeo exclusivo em que o deejay manda um salve aos brasileiros: “Big up, Brazil!”

Certamente, Alcapone possui um talento de originalidade inestimável. É com muito orgulho e honra que a equipe BeagáSka/RoodBoss comunica que, aos 64 anos de idade, ele estará em Beagá e pela primeira vez no sudeste brasileiro. Dennis se apresenta no dia 28 de Abril na festa RoodBoss Downbeat com RoodBoss Soundsystem. Mais um grande show com uma figura lendária da era de ouro da música jamaicana. YES, FROM JAMAICA TO BRAZIL!

C.a.p.o.n.e. Capone. Dennis Alcapone is coming!

King Stitt, o por quê de ir em sua apresentação?

Alguma pessoas podem estar se perguntando: “Quem afinal é King Stitt e por que esses caras do RoodBoss fazem tanta festa quando falam dele?”. Tentarei explicar em alguns parágrafos a importância de receber alguém como ele no Brasil.

King Stitt é foundation! Quando digo isso, quero dizer que Winston Sparkes (seu nome de batismo) faz parte do grupo de artistas que vivenciou e participou  da música jamaicana desde sua origem. Em 1958 ele já segurava o microfone e ajudava a construir um estilo de “interação musical” que marcou a cultura musical da Jamaica: o deejay. Stitt junto com Count Machuki e Sir Lord Comic, são considerados os três grandes pioneiros dessa forma de “cantar” e que influênciou nomes como U-Roy, I-Roy, Big Youth, Dave Barker, Dennis Alcapone, Lone Ranger, entre tantos outros. No inicio os deejays estavam a frente dos sound systems. Eram eles que animavam o público. Apresentavam a música que seria tocada (como um locutor de rádio) ou interagiam com ela, criando “versos” que respondiam outro da canção, por exemplo. Na maioria das vezes esses versos se tornavam uma assinatura de cada deejay.

O estilo deejay não foi apenas importante na ilha, ele influênciou, ou melhor, foi precurssor do rap americano. No início da cultura hip-hop, na década de 1970, um dos primeiros DJs/rappers (note que aqui não quero dizer deejay e sim, Disc Jokey como comumente conhecemos) foi Kool Herc, imigrante jamaicano nos EUA que, inspirados na cultura de sua terra natal, fazia versos simples sobre as músicas em suas festas que aconteciam no Bronx, Nova York.  Esse contexto foi o berço de um dos estilos musicais mais conhecidos e difundidos no mundo atualmente, o rap, que compõe um dos três ramos da cultura hip-hop, junto com o break (dança) e o grafite (artes plástica).

Foi Count Machuki, a frente do Sir Coxsone’s Downbeat quem introduziu Stitt ao “deejaying”.  Segundo a história, Machuki achou que Stitt dançava muito bem e disse a ele que sendo um bom dançarino seria também um excelente deejay. A partir daí, Stitt passou a trabalhar com Coxsone, antes mesmo de existir um ritmo chamado Ska. Nessa época os sistemas de som jamaicanos tocavam música negra americana como jazz, R&B, boogie woogie e soul. A princípio, Stitt foi o segundo deejay de Dodd assumindo a posição principal com a saída de Machuki e U-Roy passando para seu posto. Por trabalhar com Coxsone, King Stitt vivenciou e participou de toda a trajetória do que é considerado o mais importante estúdio jamaicano, o Studio One, considerado a Motown jamaicana. Esse paralelo é feito ao considerar a  importância que o Studio One representou para a música da Jamaica, assim como foi a Motown para a música negra americana.

Nascido com uma paralisia facial, causando-lhe uma deformação, King Stitt aproveitou-se de sua anomalia e transformou-a em sua “marca”. Apelidou-se de “The Ugly One” (o feio) em referência ao filme do italiano Sergio Leone “The Good, The Bad and The Ugly”, um clássico do velho oeste.

Apesar do trabalho que fazia junto com Clement “Coxsone” Dodd desde o final da década de 1950, foi apenas no final de 1960 que Sitt teve seu primeiro material gravado e lançado pelo produtor Clancy Eccles junto com os Dynamites como backing band. Gravações como “Fire Corner”, “Virgoton 2” e “Lee Van Cleef” foram grandes sucessos na época, sob os labels Clandisc, Newbeat (Jamaica) e Trojan’s Clandisc (Inglaterra). Com o sucesso atingindo por Sitt nas gravações feitas por Eccles, mais tarde, Dodd começou também a  gravar e lançar materiais com King Stitt. Um desses lançamentos, já na década de 1990 é o álbum “Dance Hall 63’”, uma compilação de clássicos do Studio One com a interação de Stitt. Uma reprodução em forma de disco das suas atuações no Sir Coxsone’s Downbeat.

King Stitt é uma lenda viva! Vivenciou todos os momentos da música jamaicana, da cultura sound system, participou das origens e influênciou centenas. Foi pioneiro em um estilo vocal que marcou não só a ilha caribenha, mas a música no mundo como um todo. Não há como descrever a importância de receber um artista como ele em Belo Horizonte. Aos 71 anos de idade, é a primeira vez que Stitt se apresenta como principal atração fora da Jamaica. É o deejay mais velho ainda vivo, um dos três pioneiros, sendo o mais representativo dos três.  Faz parte da história musical mundial. Repetindo, É UMA LENDA e uma honra para nós, belorizontinos, poder recebê-lo aqui!

Serviço:
RoodBoss Downbeat – King Stitt + Jurassic Sound Selection + Muamba Sound Selection + RoodBoss Soundsystem
Sábado 08/10/11 à partir das 22h no Mercado das Borboletas (Mercado Novo. Av. Olegário Maciel 742, 3º piso, Belo Horizonte/MG)
Entrada: a partir de R$20 (primeiro lote) | compre antecipado em http://roodboss.com/ugly
Mais informações: http://roodboss.com

PROMOÇÃO para RoodBoss DownBeat com King Stitt

No sábado, dia 08/10/2011, Beagá será marcada pela apresentação do pioneiro/lendário deejay jamaicano KING STITT. Para ficar ainda mais fácil de ir, o RoodBoss está fazendo uma promoção relâmpago. De hoje até amanhã os primeiros compradores pagarão apenas R$ 15,00. Então não fique parado, corra e garanta a entrada para o show. Acesse: http://roodboss.com/ugly15 – o pagamento pode ser feito através de boleto, cartão de crédito e transferência online, todas as opções para satisfazer a todos.

Em breve mais informações sobre o RoodBoss Downbeat com o King Stitt, aqui no Beagá Ska.


RoodBoss Downbeat {KING STITT} (Facebook)
  • Sábado, 08/10/2011 das 22 às 06h
  • Mercado das Borboletas (Mercado Novo) – Av. Olegário Maciel 742, 3º piso – Belo Horizonte, Brazil / Estacionamento no local
  • Ska, Rocksteady, Reggay, Lovers, Dubwise, Dancehall, Rub-a-dub, etc.
  • PROMO $15, 1º lote $20, 2º lote $25, 3º lote $30 (compra online em http://roodboss.com)

Sábado, 24/09/11: RoodBoss Soundsystem #12 @ Pça República do Líbano

Sistema de som RoodBoss projetando a melhor seleção de música jamaicana no espaço público de Belo Horizonte. Dia 24/09 na Praça República do Líbano, São Bento. Das 13 às 22h. Ska, Rocksteady, Reggay, Lovers, Dubwise, Dancehall, Rub-a-dub etc.

Convidados: Reggay420 [Santos/SP] — http://myspace.com/reggay420

Esta iniciativa depende da sua colaboração. Mantenha o espaço limpo.

R$1,00 *** Sugestão de doação para ajudar a cobrir os gastos. Receba um adesivo pela participação.

• Hotsite: http://roodboss.com/12

• Google Maps: http://goo.gl/qt3K9

• Acompanhe também pelo Facebook: http://facebook.com/roodboss

RoodBoss Downbeat – 09/07/11 @ Nelson Bordello

O RoodBoss Soundsystem não para. Após mais uma edição esplêndida no circuito das praças, o projeto agora leva a música da Jamaica para a noite de Beagá. No mesmo formato das apresentações de rua, o sistema de som entra numa das casas mais legais da cidade. Situado no centro, o Nelson Bordello recebe o primeiro ROODBOSS DOWNBEAT!

RoodBoss Downbeat: Sábado, dia 09/07/11 a partir das 22h no Nelson Bordello, rua Aarão Reis 554, Centro. R$15,00 *** Promoção: R$12,00 para quem chegar até 0h ***

PS.: O título RoodBoss Downbeat é uma homenagem ao famoso sound system, que motivou a criação de um dos mais importantes estúdios jamaicanos: Studio One. Seu prorietário, Clement Dodd no início de sua empreitada musical possuia vários sound systems, dentre eles o Sir Coxson’s Downbeat.

Imagem retirada de: http://www.urbanimage.tv

RoodBoss Soundsystem #11 – 11/06/11 @ Pça República do Líbano

No dia 11 de junho, o RoodBoss Soundsystem realiza sua 11ª edição instalando-se num local inédito: Praça República do Líbano, bairro São Bento. Como sempre, a música forte e contagiante serve como convite para os belorizontinos apreciarem seu espaço público. Das 13 às 22h o melhor da música jamaicana é projetado no sistema de som número um da cidade! Ska, Rocksteady, Reggay, Lovers, Dubwise, Rub-a-dub e, porque não, rítmos influentes e influenciados pela rica cultura musical da ilha.

• http://roodboss.com/11

RoodBoss Soundsystem #11: Sábado, dia 11/06/11 das 13 às 22h na Praça República do Líbano, São Bento | Google Maps: http://goo.gl/qt3K9

RoodBoss Soundsystem #09 – Sáb 27/11/10 na Pça Sta. Tereza

O fim de ano está chegando e mais uma edição do RoodBoss Soundsytem se aproxima. Estamos completando dois anos de RBS. Crescendo graças ao excelente público que vem nos acompanhando e, claro, a música jamaicana que é uma paixão. Que venham mais um, dois, três… Que venham inúmeros anos de RoodBoss! Enquanto existir gente validando esse trabalho, o som estará nas ruas de Beagá.

27 de novembro de 2010 é o dia. O local é um dos mais queridos da cidade: Praça Duque de Caxias no bairro Santa Tereza. Pela segunda vez o espaço recebe o sound system. Esperamos o mesmo calor da última vez que passamos por lá!

http://roodboss.com/09

Resumo

  • Quando? 27/11/2010, sábado, de 13:00 às 22:00
  • Onde? Praça Duque de Caxias no Bairro Santa Tereza
  • Quanto custa? NADA! R$ 0,00
  • Hot site: http://roodboss.com/09

Jah Shaka em São Paulo (24.10.2010)

Hoje eu (Gustássifon) e o Zumberto embarcaremos para São Paulo para poder conferir no domingo (24.10.2010) o grande Jah Shaka, o soundman mais famoso! Para quem não conhece, o portal RASTA.COM.BR fez um post bem bacana, com uma breve biografia sobre ele , que eu copio e colo aqui:

Próximo dia 24 de outubro a babilônia vai tremer, com o evento que promete ser o maior encontro de cultura de sistemas de som (sound systems) já realizado no Brasil.

Afinal de contas, quem estará presente protagonizando esse evento será ninguém menos que “The Mighty Zulu Warrior”, o grande Jah Shaka, lendário proprietário do sound system que leva o seu nome, e que atualmente atua também como produtor, engenheiro de som, dono de gravadora, entre outras atividades.

Jah Shaka nasceu e cresceu em Clarendon, na Jamaica, mas começou sua carreira musical em Londres no início dos anos 70.

Shaka ingressou no sound system de soul e rhythm ‘n’ blues Freddie Cloudburst como aprendiz de soundman (aquele que comanda o sound system) e, em meados dos anos 70, montou o seu próprio sound system simplesmente intitulado Jah Shaka.

Jah Shaka nomeou o seu sound system inspirado no grande guerreiro da tribo Zulu Shaka ka Senzangakhona, também conhecido como Shaka Zulu.

Jah Shaka ganhou notoriedade por introduzir e privilegiar o dub e o reggae rastafári, de cunho político-religioso, em suas apresentações.

Através de parcerias com produtores jamaicanos como Winston Edwards, entre outros, Jah Shaka conseguia faixas exclusivas direto da Jamaica, antes mesmo de seu lançamento oficial, além de diversas versões exclusivas de um mesmo riddim.

Em pouco tempo, Jah Shaka estabeleceu o seu nome como o principal sound system de todo o reino unido, reunindo enormes multidões de diferentes estilos musicais, cores e raças em suas apresentações.

Durante os anos 80, quando a maioria dos sound systems passou a seguir a tendência da música jamaicana, tocando músicas com temas polêmicos como armas e sexo, Jah Shaka se manteve firme em seu propósito de levar a mensagem de Jah para o seu público.

Neste período, o seu público e suas aparições diminuíram, porém isso serviu para aumentar o seu status de lenda e fazer com que inúmeros novos sounds surgissem com a mesma ideologia de favorecer o reggae com temas sociais, políticos e religiosos.

Jah Shaka também lançou seu próprio selo no início dos anos 80 e desde então produziu e lançou inúmeros álbuns de artistas como Twinkle Brothers, Max Romeo, Prince Alla, Johnny Clarke, Horace Andy, Bim Sherman, Sgt. Pepper, Icho Candy, entre muitos outros, além de inúmeros álbuns dub.

Shaka também fundou a Jah Shaka Foundation, fundação que entre outras atividades ajuda a distribuir medicamentos, livros, cadeiras de roda, materiais de carpinteria e discos para clínicas, escolas e estações de rádio na região de Accra, em Gana.

fonte: Jah Shaka no Brasil em outubro (RASTA.COM.BR)

Além de Shaka, Victor Rice + Buguinha Dub e o soundsystem Quilombo Hi-Fi animam a festa. Todas essas atrações serão de graça em frente ao Centro Cultural da Juventude Ruth Cardoso que fica na Av. Deputado Emílio Carlos, 3641 – Vila Nova Cachoeirinha. Zona Norte em SP/SP.

Estilo RoodBoss Soundsystem, na rua, de graça, além de ser uma baita referência para nós que também nos inspiramos na cultura do sound system jamaicano. Estou super ansioso!

links

Projeto mini móbile convida RoodBoss Soundsystem para instalar-se na Pça da Liberdade

Fomos convidados para alegrar o Projeto mini móbile que acontece no próximo domingo (19/09/2010) na Praça da Liberdade em Belo Horizonte.

O mini móbile é um projeto itinerante e inovador criado pela mini galeria e apoiado pela detono graffiti. Em sua primeira edição, um container instala-se na Praça da Liberdade em Belo Horizonte, e dentro, uma série de obras de arte, parte do acervo da mini galeria, ficam expostas ao público passante, numa exposição à céu aberto. Material de arte, graffiti, sprays, livros e revistas especializadas também ficam expostos: é o conceito inovador de galeria + loja de arte levadas ao público na rua.

(ref.: http://www.flickr.com/photos/mini-arte/4988919137)

O projeto fica “no ar” de 19 a 23 de setembro gratuitamente. Para o primeiro dia, em comemoração à abertura, o RoodBoss Soundsystem completa a exposição com seu repertório jamaicano que  já é conhecido dos belorizontinos, ocupando mais um espaço de Beagá. Nove horas de música, nove horas agradáveis em uma das praças mais famosa e bonitas da nossa capital. Vale a pena dar uma passadinha, ou melhor, aproveitar o dia! ;)

RoodBoss Soundsystem #08 – Sáb 14/08/10 na Praça dos Porcos

Nos aproximamos da oitava edição do ROODBOSS SOUNDSYSTEM, evento que vem a um ano e meio utilizando o espaço público de Belo Horizonte a favor da música e da convivência urbana. Trata-se de um sistema de áudio instalado eventualmente nas ruas da cidade, inspirado nos antigos sound systems jamaicanos. Carregado da rica cultura musical dessa famosa ilha caribenha, aproxima uma enorme quantidade e diversidade de pessoas que acabam contaminadas pelo balanço em clima de diversão e harmonia. A data é 14 de agosto e o local é a “Praça dos Porcos” no bairro Cidade Jardim, mesmo pico da edição anterior. A repercussão foi tão boa que ficou uma vontade de repetir a dose neste espaço incrível. À partir das 13h, serão horas seguidas de muito Ska, Rocksteady, Reggae, Dub, Dancehall entre rítmos influenciados e influentes como o Soul, Funk, R&B etc. A Praça Professor Godoi Betônico fica na Rua Conde de Linhares próximo ao número 200 e a entrada é franca. Nos encontramos lá!

Para essa edição, fizemos um hot site e contamos com a ajuda daqueles que gostam do evento para espalhá-lo. Então, não deixe de comentar com o seu pai, avô, amigo, conhecido, cachorro, papagaio e leve-os para participar com a gente e celebrar! Lembrando que agosto é o mês de comemoração da independência da Jamaica (06/08/1962),  mais um bom motivo para festejar ;).

Info: http://roodboss.com/08

4832239199_4db91d9392.jpg

4832852424_57dac78112.jpg

4832851062_cb56ea1d71.jpg

4832238947_59ba40fa4a.jpg


estatística

  • 222.166 cliques

roodboss (t)

mais clicados