2008 pra 1977: o punk e o reggae

Esta é sem dúvida a parceria mais definitiva que eu já procurei saber. Tudo começa com rastas e punks na Londres dos anos 70. O que tinham em comum? Ambos rejeitados pela sociedade. São vários os nomes como Don Letts, Bob Marley, Joe Strummer, Mikey Dread, Lee Perry, Johnny Rotten, The Clash, Big Youth, Stiff Little Fingers, BAD, The Police, enfim… e juntando informações aqui e ali resolvi arbitráriamente postar alguma coisa que diz respeito a esta fusão que marcou grande parte da música de hoje: seja pop, world music, ska-core / ska punk, punk reggae, punk rock ou qualquer outra febre que colar por aí.

Donn Letts no Roxy Club.

Don Letts no Roxy Club.

Em 1977, enquanto os jovens ingleses rodavam atrás de novidades, o punk rock explodia e radiava niilismo no planeta. Don Letts, um decendente de jamaicanos foi o DJ que fez a conexão direta entre o punk e o reggae ao introduzir o reggae e o dub nesta cena emergente – discotecou no primeiro reduto punk do Reino Unido, o Roxy Club:


“O problema é que aquela era uma cena prematura, não havia gravações punks pra tocar. Então eu fui mandando o que gostava, dub, reggae – e os punks gostando. As músicas traziam a tona uma vibe rebelde, anti-stablishment, linhas de baixo, e é claro, erva. “ (Don Letts)

Don Letts & Bob Marley.

Neste mesmo ano, após sofrer um atentado na Jamaica em 76, Bob Marley e os Wailers (em pleno auge da carreira) fixaram residência em Londres. Marley resistiu fortemente às influências do punk pois para ele não passava de outra manifestação da Babilônia. Se tornou amigo de Don Letts, mas foi a lado de Lee Perry (o mago do Dub) que mudou sua mente ouvindo The Clash pela primeira vez, então percebeu a importância do punk. Ele admirou a coragem e a raiva deles contra a estratificação social inglesa e a opressão econômica baseada em classes sociais.

O resultado desse caldeirão punk-rasta foi uma celebração de Marley, a música Punky Reggae Party em 1977 (produzida por Lee Perry):



Festa Punk Reggae

eu te disse, vai ser punk
nova onda, nova frase
nova onda, nova sensação

estou indo a uma festa
e espero que você seja corajoso
mas por favor não banque o esperto
pra uma festa punk reggae

isto carrega um som divertido
pra fazer o mundo girar
venha com sua alma e coração
venha e balance seu esqueleto

esta é uma festa punk reggae
e é esta noite
esta é uma festa punk reggae
e é isso aí

o que você dizia?
rejeitado pela sociedade
tratado com impunidade
protegido por minha dignidade
eu procuro pela realidade

estou dizendo
The Wailers vai estar lá
The Damned, The Jam, The Clash
Maytals vai estar lá
Dr. Feelgood também

nenhum velho chato aborrecido
vai estar lá

um recado de uma cigana
ela disse, cara você está se sedando
se escondendo da realidade
no seu mundo de hipocrisia

estou mascando do seu chiclete
não estamos procurando por confusão
então se você quiser
nós te damos em dobro


Paul Simonom & Mikey Dread.

É um legado que vai além do reggae de Bob Marley e o punk nos idos de 1977 pois vaza e germina nas décadas posteriores. Pra bem ou pra mal diversos são os flertes e parcerias com influência nesta fusão, aqui vão alguns mais famosos:

The Clash & Lee Perry na produção do single Complete Control (1977); The Clash grava na Jamaica o álbum Sandinista com participação de Mikey Dread (1980) – ouça One More Time… Stiff Little Fingers, The Police, Blondie, Bad Brains, No Doubt, Toots & the Maytals e o álbum True Love com várias participações como No Doubt e Manu Chao, de Operation Ivy a Reel Big Fish, Mano Negra, Gogol Bordello, Lars Fredericksen e Buju Banton – ouça No More Misty Days, Sublime, Rancid e o álbum Life Won’t Wait que também foi gravado na Jamaica (postado aqui embaixo) e a parceria com Buccaneer – Bruk out:




“ Don Letts não trouxe o reggae. Paul (Simonom) estava no reggae, Joe (Strummer) estava no reggae e John (Rotten) estava no reggae… Não se esqueça que os primeiros skinheads estavam no reggae, ska e Trojan. Enquanto o Reino Unido tinha reggae os E.U.A. estavam entrando e sendo influenciados pelo hip hop. Tanto reggae como música punk eram música rebelde ” (Don Letts)


Big Youth & Johnny 'Jah' Rotten


Salvo tudo que veio antes ou durante nos seus devidos lugares, não vá pirar a cabeça, é somente um post pra entreter. E Não se engane, está tudo interligado!

Anúncios

4 Responses to “2008 pra 1977: o punk e o reggae”


  1. 1 Xavier Costa 25/09/2008 às 10:51

    Concordo com o que você diz sobre a relação entre o reggae e o punk. É interessante como a música de uma pequena ilha como a Jamaica consegue se tornar um fenômeno de influência global e bastante atual, geração após geração. E as vidas das figuras mais destacadas do reggae são surpreendentes. No outro dia, estava surfando na net quando encontrei esse trabalho sobre as origens do reggae.
    http://cotonete.clix.pt/quiosque/especiais/reggae/index.asp
    Gostei ainda mais quando descobri que havia uma rádio associada ao trabalho, que só toca a música do início, a música fundadora do reggae. Muito interessante, mesmo!

  2. 2 feiolipe 25/09/2008 às 13:49

    Sensacional! Ta aí… é tudo música =)

  3. 3 gustavo 25/09/2008 às 15:15

    ficou supimpão o post =)
    isso aí! misturas que são otimas ;)

  4. 4 feiolipe 26/09/2008 às 22:29

    mto bom o link Xavier =) continue mandando comentarios, abraço!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




estatística

  • 214,482 cliques

roodboss (t)


%d blogueiros gostam disto: